SP entra na fase emergencial que proíbe atividades esportivas e religiosas

Governo de SP anunciou fase emergencial em todo o Estado e endureceu medidas para conter avanço da pandemia. Foto: Governo de SP / Divulgação

O governador João Doria anunciou mudanças no Plano São Paulo para tentar conter o avanço da pandemia de Covid-19, em todo o Estado. Em coletiva na tarde desta quinta-feira (11), medidas mais restritivas foram tomadas, colocando São Paulo em fase emergencial.

Com isso, estão suspensas a partir de segunda-feira (15), todas as atividades esportivas coletivas, ou seja, o Campeonato Paulista vai parar após a rodada deste fim de semana. A decisão vale até o próximo dia 30 de março.

Outra mudança atinge as atividades religiosas, que também foram proibidas com a presença de fiéis nas igrejas e templos. Lojas de materiais de construção e retirada no local (take-away) também estão com restrições completas.

As ações foram tomadas com números que mostram o avanço acentuado da pandemia em todo o Estado e no país. O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, mostrou preocupação com o cenário e a ocupação dos leitos nos hospitais. “Esse é o momento mais difícil da pandemia que enfrentamos no nosso Estado… Com a velocidade da pandemia muito mais rápida, acometendo de forma impiedosa um maior número de pessoas em um curto espaço de tempo, os nossos hospitais estão começando a comprometer. Vários deles já estão comprometidos, chegando a 100% da sua ocupação”, disse o secretário.

Além das proibições, o governo paulista recomendou na denominada fase emergencial, o tele-trabalho para atividades administrativas não essenciais, ou seja, nos órgão públicos, escritórios ou qualquer atividade, desde que não seja essencial. Também não é permitida a entrega de alimentos aos clientes nos estabelecimentos comerciais, somente drive-thru (5h às 20h) e delivery (24h) para restaurantes e outros estabelecimentos.

Doria voltou a criticar o governo federal e pediu o esforço por mais vacinas para que o país supere a maior crise sanitária de sua história. O governo federal, no seu Ministério da Saúde, precisa disponibilizar mais vacinas o quanto antes para salvar mais brasileiros. Nós estamos fazendo aqui o máximo que podemos. São 100 milhões de doses da vacina do Butantan. Mas não é o suficiente, precisamos de mais vacinas. E nesse momento, só temos o isolamento como alternativa para reduzir a marcha do vírus e desafogar o sistema de saúde, garantindo o atendimento para todos, o atendimento humanitário, justo, correto, para preservar vidas”, disse o governador em vídeo exibido durante coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Escolas

Quanto ao funcionamento das escolas da rede estadual, durante a fase emergencial, elas ficarão abertas, mas apenas para alimentação de alunos que necessitam da merenda e distribuição de materiais escolares e chips, todos com agendamento prévio.

De acordo com o secretário de Educação, Rossieli Soares, a recomendação é para que todas as atividades nas escolas sejam reduzidas ao mínimo necessário para diminuir a circulação de pessoas.

Confira como foi a coletiva completa desta quinta-feira (11).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *