Sesc Ribeirão promove projeto virtual de maio a julho com sete lives

Que tal conhecer as festas da cultura popular brasileira, de norte a sul, sem sair de casa? Essa é a proposta do Sesc Ribeirão Preto, que lança nesta quinta-feira (20/05), às 19h30, no seu canal do YouTube (YouTube.com/sescribeirao), o projeto virtual “Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular”. De maio a julho, sete lives com bate-papo ao vivo e exibições que abordam cinema, fotografia e turismo convidam o público para uma viagem semanal, repleta de experiências e histórias das festas Boi Bumbá de Parintins, Maracatu de Baque Solto de Nazaré da Mata, Cavalhadas de Pirenópolis, Semana Farroupilha de Porto Alegre e Procissão das Almas de Mariana, e dos documentários “Caminhos do Divino” e “Conversa Fiada”.

As lives são um convite para viajar virtualmente pelo país e conhecer sobre festas populares, celebrações e costumes de um Brasil profundo e plural. (Fotos: Divulgação / Arte: Andrea Goldschmidt)

“O projeto é uma oportunidade de viajar sem sair de casa, descobrir mais sobre o nosso rico patrimônio cultural imaterial e aprender com as experiências de quem vivencia as festas populares brasileiras e os saberes tradicionais. Além de possibilitar a compreensão dos conceitos de patrimônio, cultura e identidade sob diferentes abordagens, sobretudo dentro de uma perspectiva social, cultural, histórica e antropológica, e refletir sobre sua produção cultural”, diz Vandreza Freiria, produtora cultural ribeirão-pretana e moderadora dos encontros virtuais.

As festas populares são comemorações com participação coletiva. Ligadas à religiosidade e ao folclore brasileiro, elas têm como característica a presença marcante das tradições regionais, rituais, comidas, músicas, danças e roupas típicas. “Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular” tem como objetivo estimular os participantes a fazer uma viagem virtual e encontrar um novo universo de referências culturais de um Brasil plural.

Para o projeto – que acontece de 20 de maio a 8 julho, toda quinta-feira, com exceção de 03 de junho, às 19h30, pelo canal do YouTube do Sesc Ribeirão (YouTube.com/sescribeirao) – foram selecionados dois documentários (“Caminhos do Divino” e “Conversa Fiada”) e cinco festas populares, uma de cada região do país: Boi Bumbá de Parintins (Amazonas), Maracatu de Baque Solto de Nazaré da Mata (Pernambuco), Cavalhadas de Pirenópolis (Goiás), Semana Farroupilha de Porto Alegre (Rio Grande do Sul) e Procissão das Almas de Mariana (Minas Gerais).

Os sete encontros virtuais, com duração de 90 minutos, serão mediados por Vandreza Freiria e Andrea Goldschmidt, fotógrafa paulista e produtora audiovisual que, em sete anos, já registrou 38 festas populares e manifestações culturais e religiosas, em 13 estados diferentes. Com a participação virtual de convidados de cada região, como turismólogos, pesquisadores, diretores de cinema, historiadores, artistas e festeiros, o projeto irá apresentar e estimular o aprendizado sobre as origens, características e peculiaridades das manifestações escolhidas.

“Tendo a fotografia artística como base do encontro, e as exibições de curtas-metragens, os internautas terão a oportunidade de conhecer um roteiro de turismo de base cultural e interagir virtualmente, compartilhando suas próprias memórias afetivas com os eventos e ressignificando seus conceitos de brasilidade”, diz a fotógrafa e curadora do projeto, Andrea Goldschmidt.

“Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular” (veja a programação completa abaixo) integra uma iniciativa do Sesc São Paulo, denominada “Outras Viagens”, em que os temas do turismo e das viagens são abordados em atividades sem deslocamento dos participantes. Fazem parte das ações seminários, conferências, cursos, bate-papos, oficinas, exibições comentadas de filmes, intervenções artísticas e vários outros tipos de atividades destinadas ao público em geral.

Com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o Sesc Ribeirão vem se dedicando ao planejamento de atividades virtuais que destacam a atividade turística seguindo os princípios norteadores do Programa de Turismo Social do Sesc São Paulo – ou seja, a educação para e pelo turismo.

Segundo Vitor Hugo Vieira, turismólogo e programador do Sesc Ribeirão, as ações de Turismo Social têm como objetivo a realização de vivências turísticas que buscam estimular o contato dos participantes com a diversidade cultural e social dos locais visitados. Neste contexto, destacam-se a vertente educativa e a preocupação com a integração e inclusão social, gerando benefícios às populações locais, preservando suas heranças culturais e naturais.

“Convidamos os viajantes a experimentar novas formas de se relacionar consigo mesmos e com a história do país. Entende-se a educação pelo turismo como momentos de desenvolvimento de conteúdos e aquisição de conhecimentos, um processo contínuo no qual os participantes interpretam a si mesmos e ao mundo ao seu redor, enquanto adquirem informações por meio dos sentidos, de observações e experiências compartilhadas”, explica Vitor.

PROGRAMAÇÃO DOS ENCONTROS VIRTUAIS
Projeto: “Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular”
Curadora: Andrea Goldschmidt, fotógrafa e produtora audiovisual
Mediadora: Vandreza Freiria, produtora cultural
Participação especial de convidados de cada região

Datas: de 20 de maio a 08 de julho, às quintas-feiras
Horário: sempre às 19h30, com duração de 90 minutos
Local: Canal do YouTube do Sesc Ribeirão Preto – YouTube.com/sescribeirao

20 de maio – Live sobre o Documentário “Caminhos do Divino” – sobre a Festa do Divino de São Luiz do Paraitinga, no Vale do Paraíba (SP)

Durante seis anos, a fotógrafa e produtora audiovisual Andrea Goldschmidt acompanhou a Festa do Divino, registrando imagens, histórias, memórias e afetos desse povo cheio de fé. O documentário revela diversas manifestações, danças, músicas, gastronomia, fé, tradição e religiosidade. Com 16 minutos, o curta (disponível para acesso no Sesc Digital: https://sesc.digital/conteudo/cinema-e-video/caminhos-do-divino-1) é a tradução do que Andrea viu e sentiu por lá e também um tributo àqueles que fazem esta importante festa acontecer.

27 de maio – Live sobre o Documentário “Conversa Fiada” – sobre as fiadeiras do Vale do Urucuia, no sertão mineiro (MG)

O documentário conta a história de 15 mulheres fiadeiras, sertanejas e protagonistas de um mergulho pelas questões atuais de igualdade e diversidade de gênero, na busca pela potência de ser mulher no mundo de hoje. Fruto de dois anos de pesquisa respaldada pela parceria entre a Universidade Federal de Goiás (UFG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o filme percorre o fio das fiadeiras, tingideiras e tecedeiras do sertão de Minas Gerais, também cenário da saga “Grande Sertão Veredas”, de Guimarães Rosa. “Conversa Fiada” foi exibido no Festival CineBaru, na Vila Sagarana (MG) em 2018, quando recebeu o Prêmio Aquisição SescTV, por relatar em prosa e imagem a vida das fazedoras de tecido e coragem. E estará disponível na íntegra no Sesc TV (https://sesctv.org.br/) em maio: 20/05, às 19h, com reprises nos dias: 21/05, às 14h; 24/05, às 13h; 25/05, às 7h; e 26/05, às 12h30.

10 de junho – Live “Boi Bumbá de Parintins” – Região Norte (Amazonas)

O Festival de Parintins acontece anualmente em junho, no meio da Floresta Amazônica, na ilha de Parintins, que fica a cerca de 400 quilômetros de Manaus. No Bumbódromo, os bois Caprichoso (azul) e Garantido (vermelho) se “enfrentam” com apresentações durante três noites, numa sequência de músicas, coreografias e cenários distintos. Cada grupo tem quatro mil representantes e a cidade se divide em duas cores para contar a história do casal de escravos, Pai Francisco e Mãe Catirina, que está grávida e com desejo de comer língua de boi. O boi morto pelo marido é ressuscitado por curandeiros e pajés e a comunidade celebra.

17 de junho – Live “Maracatu de Baque Solto de Nazaré da Mata” – Região Nordeste (Pernambuco)

O Maracatu de Baque Solto é uma manifestação cultural da música folclórica pernambucana afro-ameríndia brasileira, que mistura as culturas indígena, africana e europeia. Provavelmente teve origem nos engenhos de cana-de-açúcar, onde os trabalhadores se reuniam nos períodos de folga para brincar e festejar depois de dias árduos de trabalho. Atualmente, o folguedo é ligado ao período carnavalesco, quando os ex-canavieiros se enchem de alegria e se tornam membros da corte e poderosos “guerreiros”.

24 de junho – Live “Cavalhadas de Pirenópolis” – Região Centro-Oeste (Goiás)

A tradicional Cavalhadas de Pirenópolis é uma encenação medieval que acontece anualmente, desde 1826, durante a Festa do Divino, em que 12 cavaleiros cristãos (vestidos de azul) enfrentam 12 cavaleiros mouros (vestidos de vermelho) e, durante três dias, fazem apresentações que remetem à Batalha de Roncesvalles que aconteceu em 778 d.C., quando, segundo a lenda, os cristãos, liderados por Carlos Magno, derrotaram os mouros que foram finalmente convertidos ao catolicismo. A atração fica por conta dos mascarados, que se apresentam durante os intervalos com fantasias (boi, homem e onça) que cobrem todo o corpo e o dos cavalos para não serem reconhecidos e, provavelmente, está relacionada a um subterfúgio, usado pelos escravos, que não podiam participar oficialmente da festa.

1º de julho – Live “Semana Farroupilha de Porto Alegre” – Região Sul (Rio Grande do Sul)

A Semana Farroupilha é celebrada em todo o estado do Rio Grande do Sul como forma de lembrar a Guerra dos Farrapos, considerada uma das mais significativas revoltas civis brasileiras contra o Império, que durou de 1835 a 1845. Durante os cerca de 30 dias que antecedem o 20 de setembro – aniversário da Revolução Farroupilha -, os gaúchos se reúnem diariamente para reafirmar o sentimento de orgulho pelos hábitos, costumes e tradições do seu povo, com muita dança, música e churrasco. Na data, acontecem os desfiles em homenagem aos líderes e aos mártires da Revolução.

8 de julho – Live “Procissão das Almas de Mariana” – Região Sudeste (Minas Gerais)

A Procissão das Almas é única no Brasil. Desde 1850, ela acontece durante a Semana Santa, na noite de Sexta-feira da Paixão, mais exatamente às 0h05 do Sábado de Aleluia, quando vultos brancos perambulam pelas ruas do centro histórico de Mariana. Com orações, cantos e trajes, a procissão mistura folclore com religião, fé e lendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *