Pandemia atinge clubes e pode impedir campeonato das Hípicas pelo segundo ano consecutivo

A crise financeira provocada pela pandemia de Covid-19 também tem afetado os clubes hípicos de Franca (SP), região e pode impedir a realização do campeonato das Corridas Hípicas, pelo segundo ano consecutivo. A informação foi transmitida pelo presidente da Liga da Corridas Hípicas Regional, Marcelo Pradela.

Ouça a reportagem completa no podcast.

Com exclusividade ao Palavra Franca, Pradela falou dos problemas que as equipes tem enfrentado há mais de um ano, desde a chegada da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus.

Sem o campeonato, os clubes perderam sua principal fonte de arrecadação que era a presença do público nas arenas, causando grande prejuízo financeiro. Ao todo são sete clubes, totalizando aproximadamente 300 cavalos que estão em baias parados, mas que precisam de alimentação, medicação e outros cuidados.

“Houve uma perda muito grande por conta da arrecadação com o público. Ao longo do campeonato, temo 50 a 60 mil pessoas. Além disso temos a questão emocional, afetiva, muitas pessoas dependem e trabalham durante o campeonato”, explicou o presidente.

Com a vacinação caminhando a passos lentos em quase todo o país, Pradela não descarta o cancelamento novamente da competição, que normalmente tem início entre a última semana de abril e primeira semana de maio, com previsão de encerramento no final de outubro.

“Infelizmente, com essa pandemia, falta de vacinação… A gente vai perdendo a condição de 2021 termos corridas. Não estou dizendo que não terá, é preciso que tenha, senão vai trazer grandes prejuízos paras as corridas hípicas, proprietários de animais, pessoas envolvidas”, disse.

Pradela ainda ressalta que a Liga depende da liberação dos governos estaduais, prefeituras, Vigilância Sanitária, Ministério Público e até mesmo do órgão competente que averigua a saúde dos animais envolvidos na competição. Mas com o passar dos meses, o calendário para a realização do campeonato vai ficando cada vez mais apertado, mas ele tem esperança que a situação melhore e não descarta uma competição mais curta neste ano.

“Mesmo que não tenhamos tempo hábil suficiente, podemos fazer uma competição menor. Já temos até projetos para isso, mas infelizmente teremos que aguardar as condições dessa pandemia para depois termos a liberação para fazer o nosso campeonato”, concluiu.

Reportagem: Thiago Garcia

Foto de capa: Clube Hípico Ribeirão Corrente/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *