Motoristas anunciam greve e francanos ficarão sem ônibus a partir desta quinta-feira (13)

Os funcionários da empresa de ônibus São José entram em greve a partir desta quinta-feira (13), em Franca (SP). A informação foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Motoristas de Transporte Público, Geraldo Xavier de Almeida à reportagem do Palavra Franca.

Motoristas prometem paralisação por tempo indeterminado e ônibus não devem circular na cidade (Foto: Palavra Franca)

Com isso, amanhã não haverá ônibus circulando na cidade, o que deve afetar milhares de trabalhadores que dependem do transporte. Um dos principais motivos da paralisação é o atraso de salários.

De acordo com Xavier, o salário referente ao mês de abril deveria ter sido pago no 5º dia útil de maio, mas até agora os trabalhadores estão sem receber. Outra questão que deve ser resolvida é o dissídio coletivo da categoria e uma reunião entre a empresa e o sindicato deve acontecer ainda na tarde de hoje, mas conforme o presidente do Sindicato dos Motoristas, esse acordo parece longe de se concretizar.

“A questão é pagamento. É bem possível que eles não vão querer pagar, então está longe o acordo. Quero pedir a compreensão da população e informar que amanhã na garagem da empresa haverá uma manifestação, de forma pacífica, mas por enquanto vai parar tudo e por tempo indeterminado”, explicou Xavier.

No último dia 30 de abril, funcionários da São José fizeram uma paralisação e cobraram salários atrasados. Na ocasião, a empresa alegou problemas financeiros.

Em nota, a assessoria da empresa São José informou que a falta de pagamento se deu por “absoluta falta de recursos” e vai buscar na reunião agendada “uma solução conjunta ao problema e evitar uma possível paralização do transporte”; confira abaixo a íntegra da nota enviada à imprensa.

“NOTA À IMPRENSA
A concessionária São José não conseguiu efetuar o pagamento dos funcionários no quinto dia útil por absoluta falta de recursos. Hoje, às 15 horas, tem reunião agendada com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Franca (Emdef), órgão gestor do contrato de concessão, e com o Sindicato dos Rodoviários na tentativa de se buscar uma solução conjunta ao problema e evitar uma possível paralisação do transporte.

A São José é concessionária de serviço público essencial e, pelo contrato vigente, a  Prefeitura de Franca  é a responsável por manter o equilíbrio econômico-financeiro para que ela possa servir a população com qualidade.
O contrato prevê revisão anual dos custos mas, como é sabido, a gestão anterior não fez nenhuma ação para resolver o problema, problema esse agravado pela queda da demanda de usuários por conta da pandemia. O atual prefeito Alexandre Ferreira, em entrevistas à Imprensa, reconhece a existência do desequilíbrio mas, na prática, ainda não deu uma solução ao problema.

Todos os meses, a concessionária apresenta planilhas com os custos reais e solicita auxílio financeiro emergencial, pede a revisão da tarifa ou ainda subsídio para cobrir parte do custo por passageiro transportado. No mês de abril, referente a março, a concessionária solicitou R$ 1.240.695,58 para cobrir a diferença entre a receita arrecadada com a venda de passagens e o custo operacional total que teve para manter os ônibus nas ruas.

Atualmente, a demanda é de 35% do que era antes da pandemia. Infelizmente, a demora na tomada de medidas por parte do Poder Público, só contribui para agravar o quadro de desequilíbrio e isso afeta de forma direta os usuários, funcionários e fornecedores.

Até agora, a São José tentou manter os ônibus em operação cobrindo uma boa parte dos custos com recursos próprios. Porém, no atual cenário, a concessionária sequer consegue obter nova linha de crédito.”

Reportagem atualizada em 12 de maio de 2021, às 15h46. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *