CPI da Pandemia: Mayra Pinheiro, a ‘Capitã Cloroquina’ presta depoimento nesta semana

A CPI da Pandemia vai ouvir o depoimento da médica Mayra Pinheiro, que é secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, no Ministério da Saúde, está marcado para terça-feira (25). Ela se intitulou “Capitã Cloroquina”, por defender o “tratamento precoce” com o uso do medicamento no âmbito da pasta da Saúde e responde a uma ação de improbidade administrativa, que investiga a atuação do ministério no colapso do sistema de saúde do estado do Amazonas.

Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde (Foto: Erasmo Salomão/MS)

Na quinta-feira (20), durante a CPI, o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), o número de vítimas poderia ter sido menor se o Brasil tivesse adotado o “tratamento precoce” com drogas como a cloroquina, cuja eficácia não é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para ele, o medicamento deixou de ser usado por “guerra ideológica”.

“Se adotássemos esse tratamento, a letalidade no Brasil não seria 2,8%. Seria 1,4%. Teríamos 220 mil mortos. Alguém é responsável por isso. Genocida é quem pratica esse fato”, disse Heinze.

Fonte: Agência Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *