Chinesa Xiaomi sai da lista de restrições comerciais nos Estados Unidos

O presidente norte-americano, Joe Biden avança nas relações comerciais com a China e começa a flexibilizar lista de restrições.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou, na quarta-feira, que a tecnológica Xiaomi entrou em acordo para solucionar o litígio que motivou o ex-presidente Donald Trump a incluir a fabricante de hardware na lista de sanções já nos últimos dias de governo.

Mal foi anunciada a mudança, as ações da chinesa dispararam em mais de 6% na Bolsa de Hong Kong. O preço das ações tinha caído cerca de 20% desde que foi incluída na lista de restrições, em janeiro.

Na época, a Xiaomi foi relacionada a empresas militares e ficou submetida a restrições de investimentos norte-americanos.

A chinesa recorreu na justiça e afirmou não ter qualquer vínculo com companhias militares e chamou a medida de inconstitucional e ilegal.

Em março, segundo a Reuters, a justiça já havia sinalizado posição favorável a Xiaomi ao bloquear temporariamente a lista de restrições, ao considerar o processo do governo americano falho.

Fonte: Agência Rádio 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *