Boletim econômico registra criação de 9,3 mil empregos e 1,3 mil novas empresas neste ano.

A 7ª edição do Boletim Econômico divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento, referente ao mês de setembro, apontou o saldo positivo de 1.724 pessoas trabalhando com carteira assinada, atingindo o saldo acumulado de 9.304 francanos com registro em carteira, desde janeiro deste ano, puxados pela indústria com 5.326 postos abertos, sendo 4.313 vagas para o setor calçadista, o que representou um crescimento de 26,66%. Na sequência, aparecem a construção civil, que apontou uma evolução de 19,62%, além dos setores do comércio e serviços, com um aumento próximo a 6%, áreas que foram beneficiadas pela retomada econômica, identificada nos últimos meses, em razão do avanço da vacinação e redução de casos e mortes na cidade, por Covid-19 e em todo país.

Os dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostraram que Franca alcançou a marca de 92.941 trabalhadores ativos com carteira assinada, neste ano.

O levantamento apresentou ainda que, segundo dados da Jucesp Franca (Junta Comercial do Estado de São Paulo), neste ano, foram abertas 1.363 novas empresas, sendo que em setembro, foram formalizadas 19 delas, acumulando um saldo positivo de 297 empresas ativas, em 2021, sem considerar o saldo dos Empreendedores Individuais.

Analisando as aberturas pelo MEI (Empreendedor Individual), são mais 300 novas empresas, em média, por mês, que atualmente representam em torno de 50% de todas empresas ativas no município. Até o final de setembro, os empreendedores individuais ativos, em Franca, somam 28.967.

Em 2021, mesmo com a recuperação do setor industrial calçadista nas exportações, que já supera todo o valor de 2.020, o café permanece à frente entre os itens mais exportados pelo município. Resultado que mostra a força do agronegócio cafeeiro na cidade e toda região.

Outros produtos da indústria local e agronegócio, que se destacaram nesses últimos três anos, superando o valor de US$ 1 milhão em exportações foram cosméticos, vestuário e soja.

A sétima edição do Boletim Econômico, disponível para acesso pelo site da Prefeitura, no link  , apresenta ainda os principais indicadores relacionados às questões macroeconômicas, que interferem diretamente nas medidas adotadas pelo gestor público e do empreendedor local que, consequentemente, impactará diretamente a análise e apresentação de indicadores de projeções futuras de emprego, renda e arrecadação municipal, principalmente, em momento de retomada econômica pós-pandemia.

A Secretaria de Desenvolvimento disponibiliza a Sala do Empreendedor com atendimento especial voltado às orientações para a formalização de microempreendedores individuais, suporte para a obtenção de inscrição municipal e a emissão de notas fiscais de serviços eletrônica.

O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h, no térreo do prédio da Prefeitura.

Mais informações poderão ser obtidas pelos telefones (16) 3711-9831 e 9832.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *