Atleta da região vai nadar do Leme ao Pontal em busca de recorde

Com treinos seis vezes por semana, nadador de Araraquara se prepara para travessia de 108 quilômetros e pode entrar para o Guinness Book (Foto: Divulgação)

O araraquarense Mário José Marchi Vissali Pinto, 56 anos, busca um recorde: nadar 108 quilômetros do Leme ao Pontal, no Rio de Janeiro, uma ultramaratona aquática de águas abertas em um desafio inédito. A tradicional prova carioca de 36 quilômetros será feita em três percursos: uma ida, uma volta e outra ida, totalizando os 108 quilômetros.

Caso Mário José conclua a prova, ele será o primeiro nadador a realizar essa extensão, sendo um recorde inédito, brasileiro e mundial. Se conseguir atingir esse objetivo, o atleta poderá entrar para o Guinness Book, o livro dos recordes.

O nadador já concluiu com sucesso a travessia de 36 quilômetros anteriormente, em 2020, marca que está entre as dez melhores performances da história da prova, concluída em 7 horas e 43 minutos. Em fase final de sua preparação, ele comenta que intensificou os treinos para o desafio ainda em janeiro de 2021, treinando de cinco a seis vezes por semana em piscina, fazendo treinos em represas, preparação com musculação e também treinando e se preparando mentalmente.

Além de atleta, Mário é psicólogo, especialista em Psicologia Hospitalar e Treinamento Esportivo. Atualmente está fazendo especialização em Neuropsicologia e mestrado em Psicologia do Esporte. Ele começou a nadar aos 11 anos de idade por recomendação médica devido a uma bronquite e, com 12 anos, já estava competindo em piscina.

O atleta tem 24 títulos estaduais, tricampeonato brasileiro, foi o 6º colocado no Panamericano, 8º lugar no Campeonato Mundial do Canadá, em 1994, e 4º lugar no Campeonato Mundial Master de Indianápolis em 1992, todas em travessias e em distâncias variadas. Os desafios superados foram muitos, entre eles, fez o Canada Manche, em 2018, tornando-se o 20º brasileiro da história a completar a nado a travessia do Canal da Mancha.

Agora, Mário José quer ir mais longe e para isso conta, além da parte física, com a preparação psicológica. “Sou psicólogo de esporte, o que me ajuda a trabalhar a mente no sentido de ter motivação, dedicação, tranquilidade, calma e equilíbrio, porque entre as várias dificuldades da prova está o tempo de nado, o esgotamento físico e mental”, explica.

Para ele, 108 quilômetros, além de ser uma distância inédita, é um grande desafio. “O máximo que conseguiram nadar nessa prova foram 72 quilômetros, que foi uma ida e uma volta. Estou desafiando em fazer uma ida, uma volta e outra ida. Realmente é uma prova de muita dificuldade, que irá exigir muito de meu preparo físico e mental. Se vai dar certo ou não, não sei, mas farei tudo que estiver ao meu alcance”, completa.

A maratona de 2022 ocorrerá a semana que vem, na capital fluminense, e Mário conta com o patrocínio da GasBrasiliano para a realização da prova. A empresa busca valorizar seu público local e atividades que possam influenciar a comunidade para a prática de atividades que lhe proporcionem mais saúde, bem-estar e qualidade de vida, como a natação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *